quarta-feira, 28 de outubro de 2020

O ASTRONAUTA JEAN GABARITO

 

O ASTRONAUTA JEAN DESCRITORES SAEB PROVA BRASIL  D4, D1, D12, D2

      Em um futuro não muito distante, no ano de 2030, cientistas brasileiros descobrem um novo planeta. Isso até que não é surpreendente, porque há anos pesquisadores já desconfiavam da possibilidade de outros lugares habitáveis no universo. Mais perto da Lua do que da Terra, surgiu um novo lugar: o planeta chamado “Mundo Digital”. Lá tudo funciona com o uso de celulares! Sim, se quiser ligar a televisão, abrir a geladeira ou fechar a porta de casa, tudo está ao alcance de um clique (ou dois) na palma da mão.

        Entretanto, o problema maior foi saber chegar lá. Para que cientistas conhecessem esse maravilhoso lugar, foi necessário que o governo contratasse Jean, um astronauta experiente e corajoso. Ao pisar em solo firme, nem precisou pegar o rádio da nave, um dos habitantes emprestou o celular, e ele prontamente ligou para a Terra:

        — Nossa! Quanta tecnologia, eu estou muito impressionado!

        — Jean? Você está ligando de um celular? Falou seu chefe intrigado.

       — Sim! Até o Whatsapp está pegando! Vou conhecer melhor tudo aqui, vou filmar para mostrar na minha volta! Um abraço, chefe!

        Os habitantes do novo planeta estranharam tanta empolgação com o uso de celular, já que estavam acostumados a fazer ligações para várias partes do seu mundo. Jean explicou que na Terra usam celulares há muito tempo, todavia nunca de uma distância tão grande.

        A volta de Jean foi incrível. Jornalistas de toda parte queriam entrevistá-lo e estavam realmente ansiosos para ver as filmagens de um mundo tão distante conhecido como o Mundo Digital. A repórter de uma rádio perguntou agitada:

        — Será que a Terra também terá um dia tanta tecnologia como lá?

    Jean sorriu, não soube responder. Virou-se de costas e foi embora deixando outros repórteres aos gritos e suplicando para fazer perguntas.

 

                    André Martins Fonte: Prof. André Martins – www.andremartinsprofessor.com.br. Acessado em 03 de abril de 2019.

                                               

 

1. (D4) O personagem Jean foi fundamental à história, pois:

a) com sua ajuda, jornalistas puderam visitar o novo planeta.

b) ele era um cientista e jornalista de sucesso.

c) graças a ele, cientistas descobriram um novo planeta.

d) possibilitou conhecer melhor o novo planeta.

 

2. (D3) “ele prontamente ligou para a Terra:” De acordo com o contexto a palavra prontamente significa:

a) imediatamente

b) respeitosamente

c) demoradamente

d) perenemente

 

3. (D1) Sobre o texto, podemos afirmar que:

a) Jean não conseguiu fazer uma ligação para o planeta Terra através do celular.

b) no planeta "Mundo Digital", tudo funciona através do celular.

c) os cientistas consideraram a descoberta do novo planeta bastante surpreendente.

d) o planeta chamado "Mundo Digital" fica mais próximo ao planeta Terra que da lua.

 

 

4. (D1) De acordo com o texto, todas as alternativas estão certas, EXCETO:

a) O astronauta chama-se Jean.

b) Cientistas brasileiros visitam um novo planeta.

d) Jornalistas estavam ansiosos para entrevistar o astronauta.

e) Jean não respondeu à pergunta de nenhum repórter

 

 

5. (D12) No início do texto, a expressão “Em um futuro não muito distante”, traz uma circunstância com o sentido de:

a) Causa

b) Condição

c) Tempo

d) Companhia

 

6. (D12) Todas alternativas abaixo indicam circunstância de LUGAR, EXCETO;

a) Ao pisar em solo firme

b) habitáveis no universo

c) Os habitantes do novo planeta;

d) todavia nunca de uma distância tão grande

 

7. (D2) No fragmento “Em um futuro não muito distante, no ano de 2030, cientistas brasileiros descobrem um novo planeta. ISSO até que não é surpreendente” o pronome demonstrativo ISSO se refere a:

a) um futuro muito distante

b) cientistas brasileiros descobrem um novo planeta

c) lugares habitáveis no universo

d) pesquisadores já desconfiavam

 

8. (D2) “Mais perto da Lua do que da Terra, surgiu um novo lugar: o planeta chamado “Mundo Digital”. Lá tudo funciona com o uso de celulares!”  A expressão destacada se refere a:

a) Lua

b) Terra

c) Futuro

d) “Mundo Digital”

 

9. (D1) Por que os habitantes do planeta Mundo Digital acharam estranho a empolgação de Jean ao conseguir utilizar o celular em outro planeta?

..............................................................................................................................

 

10. (D1) Por que motivo “A volta de Jean foi incrível” ?

............................................................................................................................

 

GABARITO

1. D

2. A

3. B

4. D

5. C

6. D

7. B

8. D

9. Estavam acostumados a fazer ligações para várias partes do seu mundo.

10. Jornalistas de toda parte queriam entrevistá-lo.

 

terça-feira, 27 de outubro de 2020

ERA DIA DE CAÇADA CONTO FANTÁSTICO

ERA DIA DE CAÇADA GABARITO

https://www.youtube.com/watch?v=poxMR2hKUA0

 

       O príncipe acordou contente. Era dia de caçada. Os cachorros latiam no pátio do castelo. Vestiu o colete de couro, calçou as botas. Os cavalos batiam os cascos debaixo da janela. Apanhou as luvas e desceu.

      Lá embaixo parecia uma festa. Os arreios e os pelos dos animais brilhavam ao sol. Brilhavam os dentes abertos em risadas, as armas, as trompas que deram o sinal de partida.

       Na floresta também ouviram a trompa e o alarido. Todos souberam que eles vinham. E cada um se escondeu como pôde.

     Só a moça não se escondeu. Acordou com o som da tropa, e estava debruçada no regato quando os caçadores chegaram.

      Foi assim que o príncipe a viu. Metade mulher, metade corça, bebendo no regato. A mulher tão linda. A corça tão ágil. A mulher ele queria amar, a corça ele queria matar. Se chegasse perto será que ela fugia? Mexeu num galho, ela levantou a cabeça ouvindo. Então o príncipe botou a flecha no arco, retesou a corda, atirou bem na pata direita. E quando a corça-mulher dobrou os joelhos tentando arrancar a flecha, ele correu e a segurou, chamando homens e cães.

      Levaram a corça para o castelo. Veio o médico, trataram do ferimento. Puseram a corça num quarto de porta trancada.

     Todos os dias o príncipe ia visitá-la. Só ele tinha a chave. E cada vez se apaixonava mais. Mas a corça-mulher só falava a língua da floresta e o príncipe só sabia ouvir a língua do palácio.

     Então ficavam horas se olhando calados, com tanta coisa para dizer.

     Ele queria dizer que a amava tanto, que queria casar com ela e tê-la para sempre no castelo, que a cobriria de roupas e joias, que chamaria o melhor feiticeiro do reino para fazê-la virar toda mulher.

      Ela queria dizer que o amava tanto, que queria casar com ele e levá-lo para a floresta, que lhe ensinaria a gostar dos pássaros e das flores e que pediria à     Rainha das corças para dar-lhe quatro patas ágeis e um belo pelo castanho.

     Mas o príncipe tinha a chave da porta. E ela não tinha o segredo da palavra.

     Todos os dias se encontravam. Agora se seguravam as mãos. E no dia em que a primeira lágrima rolou dos olhos dela, o príncipe pensou ter entendido e mandou chamar o feiticeiro.

     Quando a corça acordou, já não era mais corça. Duas pernas só e compridas, um corpo branco. Tentou levantar, não conseguiu. O príncipe lhe deu a mão. Vieram as costureiras e a cobriram de roupas. Vieram os joalheiros e a cobriram de joias. Vieram os mestres de dança para ensinar-lhe a andar. Só não tinha a palavra. E o desejo de ser mulher.

     Sete dias ela levou para aprender sete passos. E na manhã do oitavo dia, quando acordou e viu a porta aberta, juntou sete passos e mais sete, atravessou o corredor, desceu a escada, cruzou o pátio e correu para a floresta à procura da sua Rainha.

     O sol ainda brilhava quando a corça saiu da floresta, só corça, não mais mulher. E se pôs a pastar sob as janelas do palácio.

COLASANTI, Marina. Uma ideia toda azul.São Paulo: Global, 1999. p. 35-40.

 

Vocabulário

Trompa: instrumento de sopro, de metal, usado nas caçadas.

Alarido: gritaria, algazarra.

Regato: riacho, pequeno e estreito curso de água.

Retesar: tornar tenso, esticar.

 

2. Responda de acordo com o contexto:

a) “Era o dia de caçada” é um conto. Com a ajuda do dicionário, transcreva o significado da palavra conto. Observe o significado mais adequado ao nosso estudo.

 

b) Castelos, florestas, príncipes, fadas são elementos de um conto maravilhoso. Quais personagens do conto lido representam o elemento mágico da narrativa?

 

c) A partir da leitura do oitavo e do nono parágrafos, explique de que modo o narrador demonstra conhecer os personagens da história.

 

d) O que revela a atitude da moça ao fugir do palácio?

- Leia o trecho abaixo:

“E no dia em que a primeira lágrima rolou dos olhos dela, o príncipe pensou ter entendido e mandou chamar o feiticeiro.”

 

e) Segundo o contexto da história, o que príncipe tinha compreendido?

 

f) De acordo com os fatos, o príncipe conseguiu interpretar o sinal dado pela mulher-corça? Explique sua resposta.

 

g) Quais elementos visuais presentes na imagem do início do conto revelam a reação de susto do príncipe ao ver a corça-mulher?

 

h) Apaixonado pela corça-mulher desde que a viu pela primeira vez, o príncipe a levou para o palácio. Você considera correta a forma como o príncipe a capturou e a manteve no castelo? Justifique sua resposta.

 

i) A construção do oitavo e do nono parágrafos é semelhante, mas o desejo dos personagens era totalmente diferente. Qual a diferença entre os sentimentos do príncipe e da moça?

 

j) A corça-mulher ama o príncipe, mas, mesmo assim, foge do palácio. O que a atitude de fuga da moça representa?

 

 

 

GABARITO:

a) Conto é uma narrativa falada ou escrita que se caracteriza por apresentar uma história com personagens que agem num determinado lugar e espaço de tempo, tendo um narrador que conta essa história.

 

b) A corça-mulher e o príncipe encantado. Há menção a um feiticeiro.

 

c) Porque ele fala dos sentimentos e desejos do príncipe e da corça-mulher.

 

d) Revela que a necessidade de viver em seu mundo é mais forte do que o amor que sente pelo príncipe.

 

e) O príncipe provavelmente compreendeu que ela estava triste de viver daquela maneira, interpretou de sua forma que ela gostaria de se transformar em mulher.

 

f) Não, pois o choro naquele momento não era de alegria e sim de tristeza por estar presa.

 

g) O espanto do príncipe fica claro através dos olhos esbugalhados, da sobrancelha levantada, da boca aberta e da expressão de surpresa.

 

h) Resposta pessoal.

 

i) Ambos se amavam, mas queriam viver na companhia um do outro sem sair do seu ambiente natural. Ela vivendo na floresta; ele, no palácio.

 

j) Revela que a necessidade de viver em seu mundo é mais forte do que o amor que sente pelo príncipe

 

 

segunda-feira, 26 de outubro de 2020

MODALIZAÇÃO 7º ANO

 HABILIDADES: (EF07LP14) Identificar, em textos, os efeitos de sentido do uso de estratégias de modalização e argumentatividade. (EF69LP01RO) refletir sobre a função apelativa nos textos publicitários. (EF69LP03) Identificar, em notícias, o fato central, suas principais circunstâncias e eventuais decorrências; em reportagens e fotorreportagens o fato ou a temática retratada e a perspectiva de abordagem, em entrevistas os principais temas/subtemas abordados, explicações dadas ou teses defendidas em relação a esses subtemas; em tirinhas, memes, charge, a crítica, ironia ou humor presente.

MODALIZAÇÃO

1. Será que nossas palavras dão pistas das nossas opiniões sobre o que estamos falando?

2. Os veículos de comunicação, TV, JORNAL, REVISTAS, ETC. são objetivos ou subjetivos (expressam suas opiniões).

3. Como podemos identificar se um texto é objetivo ou está tentando nos influenciar?

Leia o diálogo entre as personagens Pudim e Armandinho.

https://www.facebook.com/tirasarmandinho/photos/a.488361671209144/1771864399525525/

4. De acordo com o ponto de vista das personagens podemos afirmar que

a) Ambas possuem a mesma opinião sobreo mundo;

b) A tese da personagem Pudim é de que o mundo pode mudar;

c) A posição de Armandinho é que o mundo pode mudar.

d) O sapo acha que o Armandinho está errado, por isso pulou para o seu lado.

5. O que nos permite responder a questão 1 corretamente é o contraste entre os VERBOS:

a) encare / é

b) preocupe / encare

c) é / está

d) não / só

Leia a tirinha.

https://br.pinterest.com/pin/272045633711510136/?nic_v2=1a3UCdx8F

6. No quarto quadrinho o personagem resolve ouvir o plano, Por quê?

a) Porque ele se preocupa com o meio ambiente;

b) Porque ele se preocupa em ganhar dinheiro;

c) Porque nós devemos proteger o meio ambiente;

d) Porque proteger o meio ambiente é responsabilidade de todos.

 

7. A palavra que nos permite responder a questão corretamente é a observação do adjetivo:

a) ambiental

b) lucrativo.

c) filhos

d) prossiga.

Leia a tirinha abaixo.

 8. Na opinião das galinhas essa notícia é positiva ou negativa?

9. Na opinião dos criadores de aves essa notícia é positiva ou negativa?

10. Qual palavra (ADJETIVO) da tirinha ajudou você responder as questões 5 e 6?

 Observe no quadro abaixo três manchetes sobre a eleição para prefeito de São Paulo.

 1.Russomanno derrete e cai para 20% em SP, e Covas chega a 23%, diz Datafolha

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/10/russomanno-derrete-e-cai-para-20-e-covas-chega-a-23-diz-datafolha.shtml

 2.Datafolha: Russomanno despenca e Boulos chega a 14%

https://www.cartacapital.com.br/politica/datafolha-russomanno-despenca-e-Boulos-chega-a-14-pontos/

 3.Pesquisa Datafolha em São Paulo: Covas, 23%; Russomanno, 20%; Boulos, 14%; França, 10%

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/eleicoes/2020/noticia/2020/10/22/pesquisa-datafolha-em-sao-paulo-covas-23percent-russomanno-20percent-boulos-14percent-franca-10percent.ghtml

 11. Qual das três manchetes parece ser mais imparcial, ou seja, não demonstrar apoio a nenhum dos candidatos?

.........................................

12. Quais VERBOS foram usados na manchete 1 e 2 para indicar o desempenho do candidato Russomano.

.......................................

 10. Observa abaixo duas tirinhas uma do Maluquinho e a outra das Joanas.


10.  Marque a única alternativa ERRADA.

a) As pessoas podem ter opiniões diferentes sobre um mesmo assunto.

b) Ao dizer que a vida é um teatro, a personagem Maluquinho quer dizer que nos comportamos diferentes de acordo com a situação.

c) Nem sempre a opinião que temos de uma pessoa reflete o que ela é.

d) Se em sua opinião alguém for bom, todos concordarão.

 

11. As tirinhas possuem um objetivo. Qual a finalidade das tirinhas em geral?

a) provocar humor;

b) provocar reflexão;

c) contar uma história;

d) relatar um fato.

 

12. Na tirinha do Maluquinho, no ultimo quadrinho ao dizer “Mas quem escreveu seus papéis não tem nenhuma originalidade!”. O humor nesse fragmento deriva do fato de:

a) Sermos sempre comportados diante de visitas;

b) A imagem estar escura;

c) A palavra originalidade estar em negrito;

d) O Maluquinho deixar a amiga sozinha.

 

MODALIZAÇÃO

 

      O falante representa seu conhecimento de mundo através de algumas palavras, observe abaixo como o nível de possibilidade pode variar da total possibilidade para a total impossibilidade dependendo das palavras utilizadas:

 

1.É absolutamente possível que a história se repita.

2.É indiscutivelmente possível que a história se repita.

3.É bem possível que a história se repita.

4.É possível que a história se repita.

5.Seria possível que a história se repetisse.

6. A história se repete?

7.É pouco possível que a história se repita.

8.Seria pouco possível que a história se repetisse.

9.É muito pouco possível que a história se repita.

10.Seria muito pouco possível que a história se repetisse.

11.É quase impossível que a história se repita.

12.Seria quase impossível que a história se repetisse.

Neves, 2007, p.172:

 

Há vários recursos modalizadores do discurso:

1. A prosódia, como nos alongamentos vocálicos e na mudança de tessitura, em “trabalhei muuuuuuuito.

2. Os modos verbais: imperativo – ordem, subjuntivo – hipótese, indicativo – afirmação.

3. Os verbos auxiliares como dever, poder, querer ...

4. Adjetivos, sozinhos ou em expressões como “é possível”, “é claro”, “é desejável”;

5. Advérbios como possivelmente, exatamente, obviamente etc.;

6. Locuções adverbiais: “na verdade”, “em realidade”, “por certo” etc.

(CASTILHO; CASTILHO, 1993, p.217-218.

Leia a tirinha da Mafalda.

13. A TV utiliza em anúncios publicitários o modo imperativo (indica ordem) para nos convencer a comprar determinado produto. Marque a única alternativa em que NÃO foi usado esse recurso.

a) Beba Coca-Cola

b) Compre Batom

c) Não perca a promoção

d) Vamos participar da promoção

 

14. O modo imperativo e caracterizado pelas terminações A ou E, as campanhas publicitárias utilizam esse modo verbal para convencer as pessoas a comprarem. Marque a alternativa em que esse recurso NÃO foi usado.

a) Não tenha vergonha de pagar menos;

b) Peça Friboi;

c) anúncios para celulares crescem cada vez mais

d) não deixe a dengue estragar seu verão.

 

Leia a tirinha abaixo.


15. Os verbos auxiliares são usados em locuções ou perífrases verbais ( dois verbos para indicar uma ação)   Em qual das alternativas abaixo NÃO foi utilizado verbo auxiliar como recurso modalizador.

a) posso comer

b) poderia me ajudar

c) gostaria de comprar

d) fala com seu pai

16 O humor da tira se baseia no fato de:

a) A expressão “fala com seu pai” significar peça ao seu pai;

b) A personagem Armandinho entender a fala de sua mãe de modo literal;

c) O pai de Armandinho ter deixado o menino comer o chocolate;

d) A mãe ter mudado de ideia.

REVISÃO

Os modalizadores são palavras que representam opiniões, pontos de vista. As principais palavras que indicam modalização são: adjetivos, advérbios, modos verbais como o imperativo, locuções verbais etc.

Leia fragmento de um o artigo de opinião abaixo.

Dr. Luizinho: A tragédia da covid na Educação brasileira

      É hora de União, estados e municípios se entenderem e darem respostas para esse importante tema – mesmo que já seja tarde demais para isso.

       Além dos óbitos, dos impactos ainda não dimensionados das sequelas do Covid-19 sobre o SUS dos efeitos desastrosos na economia, a pandemia do coronavírus fará outras vítimas silenciosas no Brasil: nossas crianças e jovens que estão tempo demais fora das escolas.

     Somos, em todo o mundo, o país que manteve por mais tempo os estudantes sem aulas. Os gestores não se prepararam para a reabertura e, em todo o Brasil, vimos a Justiça interferir nas decisões tomadas pelos poderes executivos neste sentido. Essa inação e interferência cobrarão um preço muito alto no futuro dessas gerações. Convidamos autoridades de vários países para compreender como eles lidaram com essa situação. Foi debatida, ainda, pesquisa realizada pela ONG Vozes da Educação com 20 países que haviam retomado as aulas até o mês de agosto.

17. Em qual das alternativas abaixo NÃO há modalização do discurso ( opinião)?

a) É hora de União, estados e municípios se entenderem e darem respostas para esse importante tema;

b) pesquisa realizada pela ONG Vozes da Educação

c) Além dos óbitos, dos impactos ainda não dimensionados das sequelas do Covid-19 sobre o SUS dos efeitos desastrosos na economia;

d) Nossas crianças e jovens que estão tempo demais fora das escolas;

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

NEVES, Maria H.M. A modalidade. In: KOCH, Ingedore G. Villaça. : Gramática do

português falado. Vol. 6. São Paulo, Unicamp, 1996, p. 163-199.

https://odia.ig.com.br/opiniao/2020/10/6011817-dr--luizinho-a-tragedia-da-covid-na-educacao-brasileira.html

https://www.facebook.com/tirasarmandinho/photos/a.488361671209144/1771864399525525/

https://br.pinterest.com/pin/272045633711510136/?nic_v2=1a3UCdx8F

http://www.nanihumor.com/2014/07/as-galinhas-filosoficas_11.html

https://www1.folha.uol.com.br/poder/2020/10/russomanno-derrete-e-cai-para-20-e-covas-chega-a-23-diz-datafolha.shtml

https://www.cartacapital.com.br/politica/datafolha-russomanno-despenca-e-Boulos-chega-a-14-pontos/

https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/eleicoes/2020/noticia/2020/10/22/pesquisa-datafolha-em-sao-paulo-covas-23percent-russomanno-20percent-boulos-14percent-franca-10percent.ghtml

http://joaosejoanas.com/459-o-ponto-de-vista-cria-o-objeto/

http://diogoprofessor.blogspot.com/2014/01/atividade-sobre-adjetivo-6-ano-ii.html

https://www.facebook.com/tirasarmandinho/photos/np.21065214.100005065987619/949164798462160

 

 

 

sábado, 24 de outubro de 2020

INTERPRETAÇÃO TEXTOS IMAGÉTICOS

 Atividade: INTERPRETAÇÃO

 

Leia os textos abaixo:

TEXTO1

https://br.pinterest.com/rodacdf/campanha-anti-tabagismo/



 http://umbrasil.com/charges/charge-23-09-2019/

 1. Marque a alternativa ERRADA sobre o TEXTO 1:

a) O texto informa que o cigarro mata;

b) Trata-se de um texto não verbal, pois não há palavras;

c) A finalidade do texto é conscientizar sobre os perigos do consumo de cigarros;

d) Não é um texto, pois não há palavras.

2. Sobre o TEXTO 2 a única alternativa INCORRETA é:

a) É composto de linhagem verbal (palavras) e linguagem não verbal (imagens, gestos, cores, etc.)

b) A posição do livro perto da cabeça tem a finalidade de mostrar o local para a vacina contra a ignorância.

c) A expressão “vacina contra a ignorância” foi usada em sentido figurado, ou seja, sentido conotativo.

d) A expressão “vacina contra a ignorância” foi usada em sentido real, ou seja, sentido denotativo.

Leia os texto abaixo.

TEXTO 3


TEXTO 4

3. No TEXTO 3 foram utilizados vários recursos, EXCETO:

a) No segundo quadrinho fonte maior para indicar que a personagem está falando alto.

b) No terceiro quadrinho fonte menor para indicar que a personagem está falando baixo

c) No primeiro quadrinho a posição da mão encostada no ouvido para indicar que está com dor.

d) No primeiro quadrinho a posição da mão encostada no ouvido para indicar que não está ouvindo.

 

4. Sobre o TEXTO 4 só NÃO podemos afirmar que:

a) a finalidade do texto é pregar a intolerância.

b) Há dois personagens: um é patrão e o outro é empregado.

c) O recurso utilizado para indicar grito foi a posição da boca bastante aberta.

d) Para indicar que a personagem está com raiva no terceiro quadrinho, o autor utilizou a posição dos dentes e um sinal de “fumacinha” em cima da cabeça.

 

5. Marque a alternativa correta sobre as características de textos como charges, textos publicitários e tirinhas.

a) Emprego de linguagem verbal e não verbal.

b) Palavras com sentido figurado, ou seja, conotativo.

c) Uso de fontes variadas (letras pequenas, letras grandes).

d) Uso de gestos, expressões faciais, posição das mãos.

e) Todas alternativas estão corretas.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.

https://br.pinterest.com/rodacdf/campanha-anti-tabagismo/

http://umbrasil.com/charges/charge-23-09-2019/

http://www.portugues.seed.pr.gov.br/modules/galeria/uploads/4/tirarock.jpg p.26

http://www.cicero.art.br/novoSite/portifolio-2/tirinha/

VERBO TRANSITIVO E INTRANSITIVO

Atividade: TRANSITIVIDADE VERBAL: VERBO TRANSITIVO E VERBO INTRANSITIVO.

Leia a tirinha do Armandinho.

 1. As expressões que indicam lugar. Respondem a pergunta (ONDE?) feita para o verbo.  Em qual das alternativas o termo destacado NÃO indica lugar?

a) O rio nasce lá na serra;

b) Passa por várias cidades;

c) Até chegar aqui na foz;

d) Ele se transforma em mar.

2. Observe as orações abaixo e indique a alternativa que está com sentido completo.

a) Eu prefiro.

b) A escola precisa.

c) Os alunos queriam.

d) O dia nasceu.

3. Nas orações abaixo, apesar de ter sido colocado algumas expressões. Qual a única alternativa que está com sentido completo. .

a) Eu prefiro de casa

b) A escola precisa na serra.

c) Os alunos queriam no feriado.

d) O dia nasceu em Macaé.

ADVÉRBIO / REVISÃO:

ADVÉRBIO é a palavra invariável que modifica o sentido de um verbo (...). O advérbio é classificado de acordo com a circunstância que ele indica:

Circunstância de:

Exemplos:

Tempo

Agora, amanhã, ontem, hoje, antes, cedo, depois, já, logo, tarde...

Lugar

Aqui, ali, aí, acolá, abaixo, acima, adiante, atrás, cá, dentro,...

Modo

Depressa, devagar, mal, bem, melhor, pior, calmamente, levemente,

Intensidade

Bastante, bem, demais, mais, menos, muito, pouco, quase, tão...

Negação

Não, absolutamente...

Dúvida

Talvez, possivelmente, provavelmente...

Afirmação

Sim, certamente, realmente...

 

TRANSITIVIDADE VERBAL — VERBO TRANSITIVO E VERBO INTRANSITIVO:

Há verbos que possuem sentido completo. São chamados de VERBOS INTRANSITIVOS. E há verbos que NÃO possuem sentido completo. São chamados de VERBOS TRANSITIVOS. Os verbos transitivos exigem COMPLEMENTOS. Os ADVÉRBIOS NÃO SÃO COMPLEMENTOS VERBAIS.

4. Construa orações utilizando os cinco VERBOS INTRANSITIVOS abaixo:

Sujeito: (ALGO OU ALGUÉM).

VERBOS INTRANSITIVOS: 1-chegar,

2-trabalhar, 3-sofrer, 4-andar, 5- chorar.

Ex.: O ônibus

chegou.

1.

 

2.

 

3.

 

4.

 

5.

 

5. Observamos os VERBOS INTRANSITIVOS não exigem comp.....................................

6. Construa orações seguindo a estrutura abaixo, se quiser coloque um advérbio.

Sujeito

VERBOS INTRANSITIVOS: acordar, dormir, morrer, nascer, cair.

ADVÉRBIO

1.

 

 

2.

 

 

3.

 

 

4.

 

 

5.

 

 

7. Podemos concluir que os ADVÉRBIOS não são comp......................obrigatórios.

8. Construa orações seguindo a estrutura abaixo utilizando os cinco verbos transitivos:

Sujeito

VERBOSTRANSITIVOS: confiar, gostar, conversar, concordar, precisar.

COMPLEMENTO

1.

 

 

2.

 

 

3.

 

 

4.

 

 

5.

 

 

9. Verbos transitivos são verbos que exigem comp..............................................

 

UNIDADE ESCOLAR: COLÉGIO MUNICIPAL BOTAFOGO

ATIVIDADE ELABORADA PELO PROFESSOR DIORGES FERRANTI GONÇALVES

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

https://tirasarmandinho.tumblr.com/post/159509475364/tirinha-original

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

MEU IDEAL SERIA ESCREVER... – Rubem Braga

 

TEXTO: MEU IDEAL SERIA ESCREVER... – Rubem Braga

Meu ideal seria escrever uma história tão engraçada que aquela moça que está naquela casa cinzenta quando lesse minha história no jornal risse, risse tanto que chegasse a chorar e dissesse – “ai meu Deus, que história mais engraçada!” E então a contasse para a  cozinheira e telefonasse para duas ou três amigas para contar a história; e todos a quem ela contasse rissem muito e ficassem alegremente espantados de vê-la tão alegre. Ah, que minha história fosse como um raio de sol, irresistivelmente louro, quente, vivo, em sua vida de moça reclusa (que não sai de casa), enlutada (profundamente triste), doente. Que ela mesma ficasse admirada ouvindo o próprio riso, e depois repetisse para si própria – “mas essa história é mesmo muito engraçada!”

Que um casal que estivesse em casa mal-humorado, o marido bastante aborrecido com a mulher, a mulher bastante irritada como o marido, que esse casal também fosse atingido pela minha história. O marido a leria e começaria a rir, o que aumentaria a irritação da mulher. Mas depois que esta, apesar de sua má-vontade, tomasse conhecimento da história, ela também risse muito, e ficassem os dois rindo sem poder olhar um para o outro sem rir mais; e que um, ouvindo aquele riso do outro, se lembrasse do alegre tempo de namoro, e reencontrassem os dois a alegria perdida de estarem juntos.

Que nas cadeias, nos hospitais, em todas as salas de espera, a minha história chegasse – e tão fascinante de graça, tão irresistível, tão colorida e tão pura que todos limpassem seu coração com lágrimas de alegria; que o comissário ((autoridade policial) do distrito (divisão territorial em que se exerce autoridade administrativa, judicial, fiscal ou policial), depois de ler minha história, mandasse soltar aqueles bêbados e também aquelas pobres mulheres colhidas na calçada e lhes dissesse – “por favor, se comportem, que diabo! Eu não gosto de prender ninguém!” E que assim todos tratassem melhor seus empregados, seus dependentes e seus semelhantes em alegre e espontânea homenagem à minha história.

E que ela aos poucos se espalhasse pelo mundo e fosse contada de mil maneiras, e fosse atribuída a um persa (habitante da antiga Pérsia, atual Irã), na Nigéria (país da África), a um australiano, em Dublin (capital da Irlanda), a um japonês, em Chicago – mas que em todas as línguas ela guardasse a sua frescura, a sua pureza, o seu encanto surpreendente; e que no fundo de uma aldeia da China, um chinês muito pobre, muito sábio e muito velho dissesse: “Nunca ouvi uma história assim tão engraçada e tão boa em toda a minha vida; valeu a pena ter vivido até hoje para ouvi-la; essa história não pode ter sido inventada por nenhum homem, foi com certeza algum anjo tagarela que a contou aos ouvidos de um santo que dormia, e que ele pensou que já estivesse morto; sim, deve ser uma história do céu que se filtrou (introduziu-se lentamente em) por acaso até nosso conhecimento; é divina.”

E quando todos me perguntassem – “mas de onde é que você tirou essa história?” – eu responderia que ela não é minha, que eu a ouvi por acaso na rua, de um desconhecido que a contava a outro desconhecido, e que por sinal começara a contar assim: “Ontem ouvi um sujeito contar uma história...”

E eu esconderia completamente a humilde verdade: que eu inventei toda a minha história em um só segundo, quando pensei na tristeza daquela moça que está doente, que sempre está doente e sempre está de luto e sozinha naquela pequena casa cinzenta de meu bairro.

 

INTERPRETAÇÃO DO TEXTO ( 0,5 cada questão)

 

01) Por que o autor deseja escrever uma história engraçada?

..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

02) Por que ele diz que a moça tem uma casa cinzenta, e não verde, azul ou amarela?

..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

03) Ao descrever um raio de sol, o autor lhe atribui características que, de certa forma, se opõem às da moça. Cite algumas dessas características opostas.

.................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

04) Como você interpretaria a oração “que todos limpassem seu coração com lágrimas de alegria”?

.................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

05) O autor sonha em tornar mais felizes e sensíveis apenas as pessoas de seu país? Justifique.

..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

 

 

 

6) Por que o autor não contaria aos outros que havia inventado a história engraçada para alegrar a moça triste e doente? 

(a) porque, na verdade, a moça triste não existia

(b) por que ele mesmo não achava a história engraçada

(c) por modéstia e humildade

(d) porque não acreditariam que ele fosse capaz de inventar aquela história

 

7) Afinal, que história Rubem Braga inventou para alegrar e comover tantas pessoas?

..................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

8) Na sua opinião, o que mais sensibiliza as pessoas: histórias engraçadas ou dramáticas? Justifique.

...........................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................

 

GABARITO:
1. Para tornar as pessoas mais felizes, principalmente uma moça triste e doente que mora numa casa cinzenta.

 

2.Porque a cor cinza lembra tristeza.

3. Raio de sol: louro, quente, vivo;
Moça: enlutada (sombria), triste, doente

4.Que todos se tornassem mais alegres e humanos.


5. Não. Ele imagina sua história espalhada pelo mundo e fosse contada de mil maneiras por pessoas de várias nacionalidades.

6. DCBEA

 

7. C

 

8. Na crônica, o autor não contou a história engraçada, ficou apenas no desejo, na aspiraçao.

 

9.     Resposta Pessoal.